domingo, 4 de julho de 2010

Sobre música urbana - à procura das raízes


Em Tomar, aproveitando a oportunidade de estarmos perante o embaixador de Moçambique em Lisboa, eu fiz um apontamento sobre o aparecimento da cantiga do tiro-liro naquele país. Agora aproveito para situar melhor o apontamento: João Craveirinha, (crítico, sobrinho do escritor José Craveirinha, no seu programa «dialogando») escreveu um pequeno artigo sobre a música popular urbana defendendo que desde o século XV houve, por todo o Ocidente, por causa dos movimentos de escravatura, um encontro com as raízes musicais africanas, encontro esse que se pôde traduzir pela aprendizagem das canções de trabalho dos escravos africanos; esta influência, esta aprendizagem, depressa se misturou com as culturas locais e deu origem aos vários ritmos e estilos, como o tango, o samba, o reggae, ou como os blues, o jazz, o rock.

Aconteceu, diz também João Craveirinha, que em África os países ocidentais, da Europa e da América, «despejaram» as suas influências musicais, misturaram-nas nas culturas locais africanas. Este encontro de culturas, esta mistura afro-europeia, fez-se e mantém-se ainda hoje, como é o caso, recente, que resultou da adaptação do «tiro-liro-liro» pelo músico moçambicano Costa Neto.

Sem comentários:

Enviar um comentário